O que é?

HPV é a sigla de Papilomavírus Humano (vem do inglês Human Papillomavirus). É um vírus do qual são conhecidos mais de 100 serotipos, cada um deles identificado com um número diferente (ex: HPV16, HPV18…). Alguns destes tipos de HPV causam os ‘cravos’ ou verrugas que por vezes aparecem nas mãos ou pés. Na designação de HPV cabem mais de 100 serotipos/tipos de HPV, 40 dos quais com transmissão preferencial por contato sexual (os restantes com transmissão por contato não-sexual pessoa-pessoa). Estes 40 serotipos podem ainda ser divididos em HPV de Alto Risco e HPV de Baixo Risco. Infetam a região genital, onde têm a capacidade de causar infeções persistentes, e podem originar condilomas e vários tipos de cancro. A transmissão do HPV é muito fácil e frequente e é feita através do contacto sexual (genital e / ou oral) e pele a pele, estimando-se que 75 a 80% de todas as pessoas sejam infetadas durante a sua vida. Falamos hoje aqui dos tipos de HPV que podem causar doenças mais graves.

Achas que não te apanha?

O pico da infeção por HPV ocorre entre os 15 e os 24 anos.

Este vírus provoca doenças iguais em rapazes e raparigas como verrugas genitais, cancro do ânus ou cancros da cabeça e pescoço. Mas também provoca doenças exclusivas das zonas genitais das raparigas, como o cancro do colo do útero, vulva e vagina e outras exclusivas dos rapazes, como o cancro do pénis.

O HPV é o segundo responsável pelo aparecimento de cancros, logo a seguir ao tabaco. A infeção provocada pelo HPV não progride obrigatoriamente para cancro, mas esta progressão pode acontecer e é impossível prever em que casos acontece. É muito importante a vacinação de raparigas e de rapazes, idealmente antes do início da atividade sexual, mas que pode ser feita em qualquer idade e mesmo após o tratamento de lesões causadas pelo HPV. Para as raparigas também é importante fazer o rastreio de Cancro do Colo do Útero, por teste do HPV, em citologia ginecológica em meio líquido. Os rapazes, assim como as raparigas, devem visitar o médico de família regularmente, bem como sempre que apareçam condilomas, outras alterações nas áreas genitais ou rouquidão arrastada.

É chato ler isto? É mais chato não saber.

O HPV pode passar totalmente despercebido a qualquer pessoa pois a infeção habitualmente não dá sintomas. Não é possível prever quem vai desenvolver doença associada ao HPV.  Na maioria dos casos o organismo consegue eliminar o vírus. Porém, em algumas pessoas, a infeção por HPV não desaparece e pode originar verrugas/ condilomas, ou vários tipos de cancro, em mulheres e homens.

E a proteção?

É possível, através da vacinação, prevenir doenças associadas aos tipos de HPV mais comuns na Europa. O preservativo confere uma proteção apenas parcial em relação ao HPV. A vacina, apesar dos seus benefícios, não protege a 100%, porque não confere proteção para todos os serotipos de HPV existentes. Assim, mesmo após a vacina, os contactos sexuais devem ser com preservativo (que não evita em absoluto a transmissão), para minimizar o risco de transmissão. É fundamental visitar periodicamente o médico.

Doenças associadas ao HPV

100%
dos

CANCROS COLO DO ÚTERO

90%
dos

CONDILOMAS OU VERRUGAS GENITAIS

84%
dos

CANCROS DO ÂNUS

70%
dos

CANCROS DA VAGINA

47%
dos

CANCROS DO PÉNIS

40%
dos

CANCROS DA VULVA

35,6%
dos

CANCROS DA OROFARINGE *

* Alguns tipos de cancros da cabeça e pescoço

sabe mais em hpv.pt

* Alguns tipos de cancros da cabeça e pescoço

sabe mais em hpv.pt